Número de consultas especializadas dobra em 2016

Publicado em: 26/12/2016 12:20

Whatsapp

 

Considerada uma das experiências de sucesso na gestão da média e alta complexidade em Alagoas e referência para todo o país, a regulação do CONISUL fecha o ano de 2016 com números expressivos de referência em consultas, exames e procedimentos cirúrgicos. No volume de produção e alcance populacional, foram realizados 47.108 consultas, 1.543 cirurgias e 289.841 exames, comprovando o alto índice de economicidade gerado pelo controle dos recursos públicos, repassados em convênio firmado com a Secretaria de Estado da Saúde (SESAU), em 2014.

Analisando em detalhes, o superintendente destaca o crescimento no número de consultas especializadas e a redução no quantitativo de cirurgias em relação a 2015. “São dois números importantes: o primeiro aponta o aumento no volume de especialidades e, consequentemente, o alcance da população as consultas médicas. O segundo aponta para a redução das filas de espera por procedimentos cirúrgicos e ao mesmo tempo a maior resolutividade no diagnóstico e tratamento oferecidos, dispensando a necessidade de encaminhar a uma cirurgia”, reforçou Pedro Madeiro.  Os exames tiveram um crescimento em relação ao ano anterior, o que também reflete o maior desempenho no diagnóstico e tratamento. 

Entre as consultas mais procuradas estão oftalmologistas, dermatologistas, especialistas em neurologia, ortopedia, ginecologia, cardiologia, pediatria, reumatologia, pneumologia, somando 21 especialidades elencadas entre as principais em necessidade da população da Região Sul.

Nos procedimentos cirúrgicos, sete tipos de procedimento aparecem entre os mais procurados. Chama a atenção às especialidades, muitas até então inacessíveis pela rede pública, como aparelho digestivo, órgãos anexos e parede abdominal, da face, cabeça e pescoço, osteomuscular, aparelho da visão, glândulas endócrinas, entre outros.    

“A satisfação com o projeto da regulação é grande entre os gestores. Estamos dando sequencia a um projeto que mudou totalmente a condição de saúde da população da Região Sul, e queremos que esse projeto continue sendo bem sucedido em 2017”, frisou o presidente Marcius Beltrão.